23.9.06

Cantando errado

Alguns são verdadeiros clássicos, como o "trocando de biquini sem parar", em lugar de "tocando B. B. King sem parar" (Cláudio Zolli).
Outros, nem tanto, mas você provavelmente já ouviu: "macaco cidadão da vivilização", quando é certo é "pacato cidadão", ou "horrores do mar, festa do sol", em vez de "cores do mar, festa do sol", o que deixou João Bosco e Capinam horrorizados.

Esta semana ouvi um amigo do meu filho cantando assim:

Ao sair do avião
surge um besouro, irmão
Branca é as 3 da manhã.

Como você já percebeu, trata-se de uma "releiutura" dos versos de Djavan em Açaí:

"Açaí, guardiã,
zum de bezouro, ímã,
branca é a tez da manhã."

Faz sentido.

5 comentários:

Tate Fish disse...

kkkk!! Zé, acrescenta aí:
"Dragão com a toalha no braço", uma versão de menino do rio que na verdade diz:
"Dragão tatuado no braço".
Adorei! Bjos!

Fugu F. disse...

Bom, a letra do menino faz tanto sentido quanto a do Djavan rsrsrs. Marisa Orth comentou, certa vez, no Saia Justa, que cantava "a mantissidão" no lugar de "amantes se dão" no café da manhã de Roberto Carlos. E tem uma crônica do escritor mineiro Leo Cunha na qual ele conta que, em criança, ficava intrigado com o verbo "bendir" da Ave Maria (bendi teu fruto em vosso ventre) rsrs Bom assunto para uma tese de mestrado em teorias da recepção!

Pati disse...

Leia isso: http://www.virunduns.blogger.com.br/

Claudio disse...

a versão de Açai eu não conhecia....

abs

josé alberto farias disse...

Tate e Gugu, essas são bacanas demais! Já tô cantando.