12.9.06

Coitado de Fulano

Estou ficando cada dia mais ranheta e implicante. Deve ser por causa da PVC (Porra da Velhice Chegando). Mas não implico necessariamente com pessoas, e sim com palavras, expressões, frases prontas - aí implico com quem as usa, por mera conseqüência.

Hoje mesmo bati o olho numa dessas expressões que me tiram do sério: "fulano veio a falecer". Como assim "veio a falecer"? Alguém me explica? Falecer é, por acaso, o nome de algum lugar? Fulano veio por livre e expontânea vontade ou foi coagido? Veio a pé? De carro? De avião? Essa foi a primeira vez que fulano veio ou ele já tinha vindo a falecer antes?

Ora, fulano não veio a falecer porra nenhuma. Fulano foi-se! Fulano mor-reu e ponto.

4 comentários:

Pati disse...

Uma coisa que andou me irritando pra caramba foi a palavra "aérea", usada em substituição ao nome de uma empresa aérea. Ora, a Volks é montadora, a CSN é um siderúrgica, mas a varig não é uma "Aérea"! É uma empresa aérea, mas não aérea. Tá, tô exagerando... Tá. Mas eu me irrito com esse modismo!

Claudio disse...

De uns tempos pra cá virou mania inventar um novo português. Ô coisa chata...

abração

Your Lady disse...

rindo contigo, Zé ... tem coisas que irritam muitooooooo!

Beijossss

Baiano disse...

Imagino o que você diria de "chegou ao orgasmo" ou senão "atingiu o orgasmo" ou ainda "tomar no c..." Como assim tomar no c...?

RSRSRS