21.9.06

De vida ou morte

Durante cinco décadas, ouvi e li a expressão "risco de vida", sem jamais ter colocado em dúvida o que ela significava. Aí, de repente, alguém decretou que a expressão é errada, que o correto é dizer "risco de morte", pois refere-se ao fato de que alguém corre, ou não, o risco de morrer.
Faz sentido, mas é questionável. Quando eu digo que "fulano caiu da moto, mas não corre risco de vida", estou afirmando que fulano não corre o risco de perder a vida. Portanto, o argumento em favor do risco de morte pode, também, ser usado em defesa do risco de vida.
Some-se a isso o fato de que o risco é inerente à vida. Viver é correr riscos. Já a morte é o cessar de todos os riscos (salvo se você acreditar em inferno e coisas do gênero) ou, se você preferir, o risco-limite do estar vivo.

...

Nessa mesma linha, existe a questão da "entrega a domicílio" versus "entrega em domicílio". Mas isso é assunto para outro dia.

6 comentários:

Pati disse...

Shi... essas questões linguísticas dão panos pra manga! Aliás, pra manga, pra saia, pra gola, pra roupa inteira. Também acho uma bobagem esse negócio de risco de morte. A vida está em risco.

Eu também passei a vida ouvindo a resposta "Hoje são 21" para a pergunta "Que dia é hoje?". Ora! Hoje É (dia) 21!" A palavra "dia" está implícita. É apenas uma zeugma que ocorre. Hoje são 21 por quê? São 21 o quê? São 21 dias? 21 dias do mês de setembro? E alguém fala "hoje são 21 dias de setembro"?

Somente há dois meses encontrei um professor que concordava comigo. Mas eu nunca deixe de dizer "hoje é...". e para os que me corrigiam, sempre tasquei "há uma zeugma aqui!". Não sei porque todos se calavam...

Claudio disse...

Também acho que é exagero esse tipo de correção. Acho perfeccionismo demais. Assim como a Pati, eu também falo hoje é 23, pois a palavra dia está implícita.

Mas isso rende bons posts e nesse aspecto é positivo, né?

abs

Mario Persona disse...

Que bom que você escreveu isso! Sabe, eu achava até que era surdo e só agora consegui escutar o que as pessoas diziam, porque antes só ouvia "risco de vida" e, assim do nada, as pessoas começaram a falar "risco de morte". Aí pensei: "Será que perdi alguma coisa? Será que faltei no dia da transição?". Então tem mais gente que acha que risco de morte é novidade e que risco de vida é a forma que sempre foi. Mas acho que também pode ser explicado pelo fato de que hoje a vida está pela hora da morte. Então estamos todos correndo risco de morte.

Lula disse...

Vi seu coment sobre o iPod la no Cláudio do JCF e corri pra ver o modelo, mas gostei do post sobre o risco de vida. E, é claro, gostei e concordei com todas as opiniões ja colocadas, principalmente com o Mario Persona. Acho q eu faltei no dia da transição tbm. É como o lindo de morrer, q a Hebe transformou em ...de viver.
Qto ao Aipóde, esse é o modelo q sonho em ter. hehehe.
Abraços.

josé alberto farias disse...

Mário, às vezes eu penso que esse pessoal é que esqueceu de fazer o dever de casa.

Anônimo disse...

Não confundamos as coisas:

Risco de vida.

Seria melhor dizer "RISCO À VIDA"

E o que dizer de "PERIGO DE VIDA"

Seria melhor dizer "PERIGO À VIDA"