25.9.06

Pelas ruas do Pelô

Na semana passada, fui ao Pelourinho dar uma caminhada por seus becos e vielas. O lugar continua bonito, razoavelmente bem conservado e a presença de dois policiais em cada esquina passa a idéia de que estamos, também, razoávelmente seguros.

Apenas um senão: mesmo sendo da terra, alí você é turista e ponto. Fui com a intenção de fazer algumas fotos e descobri que é impossível fotografar quem quer que seja sem pagar por isso. Do vendedor de picolé à baiana vestida a caráter, todos só se deixam fotografar mediante pagamento. Eles partem do princípio de que você irá comercializar as fotos e querem levar sua parte no negócio, o que considero justo. Afinal, a lógica capitalista está entranhada nas pedras irregulares daquelas ladeiras desde o século XVI.


4 comentários:

lia disse...

Oi Jose,peguei o taxi,dei uma viajada no seu blog e ri muito em varios dos teus posts,vou aproveitar para linka-lo,a proposito voce pagou as fotos?Beijocas

josé alberto farias disse...

Paguei não, Lia. Sou pão-duro, por isso só fotografei prédios.

Lia disse...

Ah bom!Li seu comentario no meu Blog sobre o sushi, se aparecer por aqui ja esta convidado.Ja te linkei.Beijos

Pati disse...

Outro dia, estava conversando com um senhor libanês mas que mora no Brasil há muitos anos. Certo dia ele levou um amigo ao Pão de Açúcar. Ele, o libanês, já tinha ido várias vezes. O amigo, não. Umas mulatas apareceram e quiseram tirar foto. Eles tiraram. Elas então cobraram. 50 dólares...