29.10.06

Vinicius


Acabo de assistir Vinicius, o filme de Miguel Faria Jr. Será que alguém consegue sair ileso dessa experiêcia? Eu, não. O filme me pegou pra valer, me deixou num estado de absoluto encantamento, grávido de alegria, quase explodindo de tristeza, cheio de felicidade e nostalgia.

Não vou falar de Vinicius. Apenas, registrar a sensibilidade do Miguel Faria Jr. e as atuações estupendas do Ricardo Blat e da Camila Morgado (aliás, umamulher por quem, certamente, Vinicius se apaixonaria).

Se você ainda não viu, veja. E aproveite esta noite de domingo para passear no site do poetinha, feito com carinho e cheio de inusitadas surpresas.

7 comentários:

Viviana disse...

Um homem multifacetado! Singular!

Ainda não assisti ao filme mas me abristes o apetite!

Drumond disse que Vinícius era o único poeta brasileiro que ousou viver sob o signo da paixão, ou seja, da poesia em estado natural.

" Que não seja imortal, posto que é chama /Mas que seja infinito enquanto dure "

"- Ninguém faz tudo bonito sempre. Até Deus. Ele fez o cavalo e também o rinoceronte."


Adoro esta realidade manifesta e indispensavelmente, revelada!


A propósito, vistes que comentei dia 29 um post que publicastes no dia 27?

(risos marotos pra ti!)

Ciça disse...

Manozinhao... arrumei teu link

Mani disse...

Não vi o filme, ainda. Mas marido ganhou a trilha sonora. Tão linda!

Zel disse...

zé, eu não sou muito fã da poesia do vinícius (e posso te contar depois meus motivos, são puramente estéticos) mas acho que ele é inncrível. ouvi alguns dos seus poemas declamados por ele próprio e, olha... maravilhoso. gostando ou não da poesia dele, não dá pra negar que o cara era foda :)

beijão!

Claudia Perotti disse...

O filme pegou-me pela alma e pé!

Beijinhossssss

Márcio Pimenta disse...

Recomendo que leia as cartas de Vinicius e uma biografia dele. Ai sim, estará em êxtase!

Abraços!

Du disse...

Oi, Zé!!!

Entendi direitinho tudo o que você sentiu com o filme. Senti parecido. Concordo com você também quanto a Camila Morgado. O Soneto da Fidelidade ficou ainda mais bonito.

Beijos