6.1.07

Planejando 2007

Como dizia a Belle de Jour, antes à tarde do que nunca. Portanto, se você quiser, ainda dá tempo.

Planejar não lhe dá certezas, mas reduz muito as incertezas. Não se trata de adivinhar o futuro, mas de tentar prever, com base em dados consistentes, o que é mais provável de acontecer. A fote desses dados consistentes, indicadores de tendências, está no passado. Assim, o primeiro passo para um planejamento pessoal é fazer uma análise do ano que passou. Vamos por partes:

  1. Departamentalize sua vida. Por exemplo, separe o pessoal do profissional. Se achar conveniente, departamentalize mais ainda (sua vida pessoal pode ser dividida em familiar, social, sentimental etc).
  2. Faça um inventário do que aconteceu de bom e ruim, positivo e negativo, em cada um desses departamentos. Atenção: por razões que não cabe discutir aqui, temos uma tendência a lembrar com mais facilidade das coisas ruins. Portanto, faça um esforço extra ao levantar os fatos positivos.
  3. Questione-se sobre em que medida suas atitudes e seus atos (ou a falta deles) contribuiu para cada um dos eventos que você classificou como positivo ou negativo. Aqui, não vale enrolar, ser condescendente, nem dar uma de vítima. Seja sincero e objetivo.

Isto feito, você disporá de um diagnóstico dos seus pontos fortes e dos seus pontos fracos, que deverá servir de pano de fundo para o seu planejamento. Pontos fortes, quando associados a uma situação favorável, são oportunidades; pontos fracos associados a uma situação desfavorável, são ameaças. Pontos fortes a gente deve manter e desenvolver; pontos fracos, a gente evita ou tenta corrigir.

Agora você já pode definir seus objetivos. Estabeleça objetivos para cada "departamento" da sua vida. Como não dá para fazer tudo ao mesmo tempo, estabeleça uma hierarquia para esses objetivos. Assim, você saberá em quais objetivos concentrar mais esforços.

Você já sabe o que quer, mas isso não basta. É necessário, também, determinar como, quando, onde e com quem. Se a realização de um determinado objetivo depende de dinheiro, convém também prever de onde virão esses recursos. Vejamos este exemplo:

Objetivo: emagrecer 10 kg.
Como: Cirurgia de redução de estômago.
Quando: julho/2007
Onde: Hospital São Rafael, Salvador, Bahia.
Com quem: Dr. Antônio Carlos
Recursos: Poupança mais empréstimo no Banco do Brasil.

Uma pessoa que tenha estabelecido este objetivo e planejado sua execução, saberá, de antemão, que terá de poupar algum dinheiro no porimeiro semestre, negociar um empréstimo e que não poderá assumir certos compromissos em julho pois estará convalescendo de uma cirurgia.

Bem, isto é o básico. Adapte às suas necessidades e mãos à obra!


6 comentários:

Carlos Emerson Jr. disse...

Boas dicas, meu caro Consultor!

Zel disse...

PINTOS FORTES foi a melhor :D

Pati Haddad disse...

Esse objetivo aí não é seu não, né?

debora disse...

Poxa, radicalizou...

Claudia disse...

Não é vc, é?
Bjin..

Vivien Morgato : disse...

Gostei das dicas.