17.10.06

A chata cibernética


Por falta de assunto melhor, hoje resolvi escrever sobre um tipo próprio destes tempos internéticos: a ciberchata. O substantivo é feminino porque, embora existam alguns ciberchatos, sua ocorrência é tão pequena que pode ser desprezada, sendo a ciberchatisse um mal que se manifesta preferencialmente em mulheres, na faixa dos 35 aos 60 anos.

A ciberchata é meiga, de uma meiguice brega e superficial. Adora gifs animados e penduricalhos de toda espécie. Suas mensagens – e sua home page, quando ela tem uma – é mais enfeitada que penteadeira de puta.

A ciberchata é tarada. Tarada por arquivos PPS cheios de frases de auto-ajuda, salmos e aforismos edificantes, devidamente ilustrados com imagens de flores, fadas, anjos e representações do paraíso, sempre de gosto duvidoso.

O habitat preferido da ciberchata é a caixa de entrada dos e-mails daqueles que têm o azar de fazer parte da sua lista de contatos. Ali ela se manifesta em sua plenitude, todos os dias, mais de uma vez ao dia. Ela escreve para te desejar bom dia, para desejar boa noite, às segundas-feiras lhe deseja uma boa semana – como, se ela vai encher o saco a semana toda? – e às sextas não esquece de lhe desejar um bom “findi” (sic).

A ciberchata acredita piamente que tem uma missão na vida: a de repassar para seus contatos, indiscriminadamente, tudo que recebe de outras ciberchatas, gerando um efeito multiplicador em escala geométrica, entupindo as infovias de lixo.

A ciberchata acredita em tudo que vê e lê na Internet. Tem boas intenções de sobra e nenhum senso crítico. Acredita que a AOL vai pagar 5 centavos àquela criancinha com câncer por cada e-mail chato que ela mandar. Acredita que se alguém colocar um osso num copo com Coca-Cola, ele – o osso – desaparece m 2 dias. Acredita em correntes, em fotomontagens e em mula sem cabeça. Parece a velhinha de Taubaté.

A ciberchata não soma nada, não agrega nada. Só repassa. E de nada adianta fugir ou se fingir de morto e não responder suas mensagens, pois a ciberchata é compulsiva. Continua entupindo seu e-mail de babaquices, piadas velhas, fotos de gente desaparecida, boatos e PPSs, muitos PPSs.

No fundo, tenho pena das ciberchatas. Elas são solitárias, carentes e sofrem do complexo de abandono. O mais triste de tudo é que ciberchatice não tem cura. Como toda pessoa carente, a ciberchata vive num círculo vicioso: ela é chata porque é carente e é cada vez mais carente porque é chata. Quem agüenta?

8 comentários:

Vinha disse...

Lembrando que os ciberchatos despedem-se SEMPRE com um "beijo no seu coração"...rrss, ou na "sua alma linda"... ou ainda um "beijo no olho"... Sinceramente deste último não captei o profundo significado...rs.
Lendo teu texto perdi a conta de quantos ciberchatos conheço...
Adorei!

"Um beijo no coração".... hehehehehe

lia disse...

Muito bom o seu post parabens.Beijoca

ana disse...

eca, que sexista!
quando vejo o seu post sobre o bacalhau da tsunami, fico me perguntando... não seria reflexo de cyber-chatice?
só falo isso porque o pior cyber-chato que conheço é homem, ele manda quinhentos convites pra entrar nas comunidades dele no orkut, faz 700 propagandas dos seus podcasts e, nem mesmo eu tendo usado o recurso do "bounce back" o cara não desiste. deixa as chatinhas que eu conheço no chinelo... :)
beijo!

Faby disse...

Kakakakaka...que delícia! Acabo de ver pesonificadas em seu post um monte de amigas minhas.
A ciberchata é chata... agora, imagina se ela é tua amiga???
Como diz meu amigo LOP, nada é tão ruim que não possa piorar.

Beijuca!

Nelson Moraes disse...

A cyberchatice vive bombardeando o Orkut com scraps de "clique no desenho". Eu ia falar de MSN também, mas, caramba, deu preguiça. :-)
Abraço.

Pati Haddad disse...

Só um detalhe me aproxima das ciberchatas: o uso, vez por outra, de "findi". Mas, obviamente, dentro de um contexto que me permita - o MSN. E só. De resto...

anjacaramuja disse...

BEJO NO CORAZÓNNNNNNN!
mUACKS
bOM fINDEE!

CLICAQUIÓ!

HUAHUAHUAHUA

Fugu F. disse...

A Ana disse tudo. Ando pensando em abrir um agência matrimonial que case de vez ciberchatinhas com ciberchatos. Assim, ela pode meditar tranquilamento em seu quarto (sob o efeito benéfico do raio UV do portal 1017) enquanto ele cria uma mais uma comunidade no orkut. beijo você!